[Resenha] A Esperança (CONTÉM SPOILERS)

11:30

Livro: A Esperança
Autora: Suzanne Collins
Editora: Rocco
Ano: 2011
Paginas: 424
ISBN: 978-857-980-086-3
Resenhado por: Pam ^.^



Pra início de conversa o livro A Esperança, não tem praticamente nada de alegria. É muito triste, parado e principalmente depressivo. Só o final que é mais agitado e fiquei por dias digerindo os acontecimentos.
O livro começa com a Katniss totalmente devastada pelos acontecimentos do livro em Chamas, sobretudo pelo sequestro do Peeta, a sensação que me passou é que ela está fora de orbita e provavelmente está. Ela está no Distrito 13, no qual a Capital por anos dizia que estava extinto, sua família também está, porém a maioria das pessoas do Distrito 12 foram mortas com o ataque da Capital depois dela ter atirado aquela flecha no campo magnético da Arena.

Nesse livro, conheceremos mais sobre como o Distrito 13 sobreviveu todos os anos que ficou isolado de Panem e também sua presidente Coin, que é descrita como uma pessoa calculista e fria.
Se nos outros livros eu não tinha um motivo concreto para ter antipatia pelo Gale, neste livro eu tenho todos os motivos do mundo. Ele se torna tipicamente aqueles soldados americanos que obedecem todas as ordens independente se é certo ou não, a Katniss chega a não reconhece-lo, claro depois ele meio que desobedece algumas ordens, porém, a revolta dos distritos tira toda a inocência dele e ele deixa de acreditar na bondade do ser humano.

Foto Pam
Aliás, A Esperança basicamente mostra como uma guerra pode deixar marcas que nunca serão curadas e sim que podem apenas suportadas.

Por ter sido enganada pelo Haymitch e Plutarch, Katniss fica no começo totalmente fora dos planos da revolta, porém, depois eles querem que ela seja uma garota propaganda da revolta, tentam fazer comerciais com frases prontas, mas a atuação do Tordo é horrível. Então, Haymitch tem a ideia de levar a Katniss para os distritos e lá fazer os “comerciais”, já que o que mais chamou a atenção das pessoas foi às reações naturais dela durante os Jogos Vorazes e o Massacre Quartenário.

Ela fica chocada com a situação dos distritos, a fome e o estado físico das pessoas, seja adultos ou crianças. Quando as pessoas a vêem acendem uma esperança e algumas chegam a falar a admiração que tem por ela. Lá eles sofrem um ataque surpresa da Capital e lá a Katniss fica desolada.

Metade do livro tem pouca participação do Peeta, ele só aparece em comerciais da Capital ao lado do presidente Snow, um inclusive ele avisa um ataque surpresa ao Distrito 13 salvando assim várias vidas.
Uma discussão entre os membros da elite da revolta sobre a “lealdade” do Peeta e se devem ou não resgata-lo irrita muito a Katniss, mas no final eles acabam resgantando, junto com a Annie e a Johanna.
Se a Katniss estava deprimida pela falta do Peeta, quando o encontra e vê o que a Capital fez com ele, chega a pensar que era melhor ele estar morto. (Cheguei a odiar a Katniss por esse pensamento)
Pior de que qualquer tortura física, eles afetaram o psicológico do Peeta, pois ele foi telessequestrado, fazendo ele até odiar a Katniss a ponto de querer matá-la quando finalmente se encontraram.

A partir desse encontro eu tenho dó e raiva da Katniss pela forma que ela reage quando está perto com o Peeta, ela sente falta de quem ele já foi, mas ao mesmo tempo é cruel com ele. Se eu pudesse batia nela!
Antes que me esqueça temos o fofo casamento de Finnick com a Annie, sem muito destaque na minha opinião, uma felicidade breve merecida na minha opinião.
Foto Pam

No final do livro temos a Katniss e uma equipe na Capital para participar do ataque final, detalhe, sem o Peeta. Só que como a Johanna tem uma ataque psicótico, a presidente Coin decide mantar o nosso padeiro no lugar, claro, deixando a Garota em Chamas enlouquecida.
Se todo o livro foi um pouco parados, os acontecimentos nessa parte você tem que ter cuidado para não perder algumas mortes e armadilhas da Capital, é muita coisa acontecendo ao mesmo tempo. Inclusive uma morte de um dos meus personagens favoritos foi tão rápida que tive que voltar e ler de novo pra ver se entendi certo. Depois disso parei por 20 minutos e chorei, porque eu não acreditei.

Mas de todas as mortes que teve no final, um especifica afetou muito a Katniss, se eu pensei que ela estava mal no começo eu fui perceber o que estar mal. De certa forma depois dessa morte, fica claro com quem a Katniss ficará, Peeta ou Gale, que alias não gostei muito porque pareceu que a escolha dela foi forçada pela situação, não uma escolha do coração.

Por fim, com a queda da Capital finalmente temos um encontro cara a cara de Katniss e do presidente Snow, que sinceramente, senti muita a falta já que eu acho fascinante a forma sincera e enigmática que eles conversam. Lá ela finalmente percebe que foi usada todo o tempo pela presidente Coin não para a liberdade dos Distritos e sim para o desejo egoísta da mesma para estar no poder. Ou seja, ela finalmente percebe que é a inimiga. E na hora da execução do presidente Snow ela toma uma decisão que surpreende a todos, inclusive a mim. Mas eu achei perfeita!

Depois de toda dor, perda que a Katniss sofreu durante os três livros ela não agüenta ficar no Distrito 13 e decidi voltar para o extinto Distrito 12, e lá vão mais algumas pessoas, inclusive o Haymitch e aquele que será seu companheiro.
Foto Pam

O que posso dizer sobre a trilogia de Jogos Vorazes, que é uma ótima história que envolve política, a luta por liberdade, democracia, amor, família. E que numa guerra há marcas que nunca se curam, que você nunca mais será o mesmo.


Espero que tenham gostado e Boa Leitura :)

Talvez você goste :)

4 comentários

  1. A Esperança é um fim muito justo para a série, talvez não o melhor possível, mas sem dúvidas bem justo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, concordo. Mas fiquei bastante infeliz com as mortes.

      Excluir

Sobre o Blog

Tento compartilhar uma pequena parte do meu mundo. Para saber mais acesse a aba "Sobre o Blog".

Facebook